POR QUE A COMPRA DO TWITTER POR ELON MUSK PODE SER CATASTRÓFICA PARA A COMUNICAÇÃO GLOBAL?

Com certeza um dos assuntos mais comentados neste momento é a notícia sobre a aquisição da rede social Twitter pelo bilionário Elon Musk. Conhecido por ser o homem mais rico do mundo, Musk é CEO da norte americana Tesla, uma das maiores empresas automotivas de armazenamento de energia da atualidade e líder de centenas de outras empresas. Comprou a rede social Twitter por US$ 44 bilhões, cerca de R$ 216 bilhões e poderia eliminar a fome do mundo com todo este dinheiro, não apenas uma, mais seis vezes.

O Twitter é uma rede social e um serviço de microblog integrado, que permite aos usuários enviar e receber atualizações pessoais. Fundado em 2006 por Jack Dorsey, Evan Williams e Biz Stone, a plataforma americana se popularizou em 2007 por justamente oferecer um espaço para debate e compartilhamento de conteúdos dos mais variados assuntos. Uma das principais ferramentas do Twitter, o Trending Topics, ganhou destaque no mundo todo pois disponibiliza aos usuários os assuntos mais comentados do momento.

Atualmente, o Twitter conta com mais de 316 milhões de usuários ativos. O serviço poder ser acessado pelo site oficial da empresa ou através de aplicativo. Em nosso país a plataforma ganhou destaque em 2012 quando a empresa inaugurou seu primeiro escritório em São Paulo. De lá pra cá, o Twitter sofreu diversas mudanças, sendo impostas algumas condições e regras. Um dos casos que mais repercutiram na mídia foi a expulsão do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump da rede social após o mesmo incitar uma multidão de seguidores a invadir o Congresso dos EUA. Mesmo com a aquisição da plataforma por Elon Musk, Trump descartou seu retorno alegando que ficará em sua própria plataforma “Truth Social”.

Mas o que será que Musk fará com o Twitter daqui para frente? Segundo o bilionário através de uma declaração em meados de abril durante uma conferência alegou que sua decisão de comprar a empresa não tem motivações econômicas. “Não é uma forma de ganhar dinheiro”, defendeu o CEO da Tesla. “Tenho simplesmente uma forte intuição de que ter uma plataforma pública e aberta à maior quantidade de pessoas é extremamente importante para o futuro de nossa civilização”, garantiu. Musk não detalhou como vai gerar receita para o Twitter, ainda que tenha um desejo de reduzir o número de funcionários da empresa.

Muitos grupos de direitos humanos estão extremamente preocupados com a venda do Twitter. Com ênfase a respeito da liberdade, Elon Musk pode fazer com que a circulação de discurso de ódio cresça na plataforma. Mudanças em suas regras, termos e condições, além de novos recursos e algoritmos, podem ter efeitos catastróficos, ou até mesmo devastadores para o mundo inteiro, incluindo aumento da violência dentro e fora da rede social. Todos temos que concordar que é muito poder nas mãos de um único indivíduo. 

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing –  Oliveiras Consultoria & Marketing)

Zelensky e o Poder da Comunicação Digital em tempos de Guerra

O mundo inteiro assiste perplexo a invasão da Ucrânia pelas tropas russas. Já estamos no quinto dia de confronto e muitos questionamentos ainda não foram respondidos. Qual é o real interesse de Putin nesta investida? Será que a Ucrânia conseguirá ajuda definitiva de outros países? O que aconteceria se houvesse uma 3ª Guerra Mundial e quais seriam os reflexos para a população mundial?

Historicamente, a Rússia e a Ucrânia sempre disputaram entre si. Em 1954 a península da Crimeia foi transferida para a Ucrânia pelo líder soviético Nikita Khruschev como um “presente” para fortalecer os laços entre as duas nações. Porém, em 2014 (exatamente 60 anos depois), Vladimir Putin ordenou uma invasão russa à península da Crimeia, gerando uma crise político-institucional. A Comunidade Internacional condenou a ação de Putin, mas a Rússia conseguiu anexá-la novamente após a invasão, argumentando que a Crimeia possui valores históricos e culturais com a população russa.

Voltando para os dias atuais, a guerra na Ucrânia está gerando, em poucos dias, situações totalmente drásticas, para ambos os lados. Até o momento mais de 4,3 mil soldados russos foram mortos. A ONU estima que a guerra irá gerar 5 milhões de refugiados ucranianos. Pelo menos 10 cidades da Ucrânia foram bombardeadas, entre elas a capital Kiev. A Rússia já está sofrendo por conta das sanções impostas pelos EUA e a União Européia. O Banco Central Russo precisou elevar a taxa de juros do país e muitas empresas sofrerão com o bloqueio do Swift, que é um sistema de comunicação que permite pagamento e transferência de recursos entre empresas de diferentes países. A desvalorização da moeda russa está gerando uma onda de ansiedade e frustração, fazendo com que os russos corram até os bancos para limparem suas contas bancárias. A economia russa está em queda-livre.

No meio desse turbilhão de sentimentos e emoções, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, 44 anos, soube tirar vantagem de suas habilidades com comunicação digital para enviar mensagens de encorajamento aos ucranianos nas mídias sociais. Desde o início da guerra entre a Rússia e a Ucrânia, Zelensky está representando com maestria o seu papel de verdadeiro líder na defesa de seu país em tempos de guerra. Ele não aceitou a ajuda do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden para sair do país, em uma conversa por telefone. Mesmo sabendo que a sua vida e de seus familiares correm perigo, decidiu ficar na Ucrânia e lutar contra as tropas russas. Zelensky que antes de ser presidente foi um humorista sem experiência prévia para ocupar um cargo de grandes exigências, se tornou herói nacional ao convocar os ucranianos para lutarem pelo seu país e dizer repetidas vezes: “A luta está aqui. Eu preciso de munição e não de transporte”. Zelensky foi eleito em 2019 muito por seu carisma e também por justamente conhecer o poder de uma comunicação digital, mais direta e transparente com a população.

Sabemos que qualquer esforço inteligente é válido quando um país está sendo atacado por outro e que as chances de uma rendição são mínimas. Zelensky cumpre o seu papel com ousadia e grande atitude perante o governo de Vladimir Putin. Uma negociação entre os governos poderá por fim nesta guerra e trazer novamente a paz para aquele país? Somente o tempo vai responder. Por aqui assistimos atônitos os desdobramentos desta guerra terrível, alguns rezando, outros torcendo para que não gere ainda mais prejuízos para estes dois países e o resto do mundo. Por fim, finalizo com uma frase muito profunda de Albert Einstein sobre a guerra: “Não sei com que armamento se combaterá a Terceira Guerra Mundial, mas a Quarta Guerra Mundial será combatida com paus e pedras”.

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing – Oliveiras Consultoria & Marketing)

Metaverso e o futuro interativo das redes sociais

Imagine um universo virtual onde seres humanos poderão interagir entre si por meio de avatares digitais. Essa realidade fictícia já está sendo estudada e desenvolvida a partir de tecnologias atuais, como a realidade aumentada, redes sociais, realidade virtual, criptomoedas, etc. Mas o que significa Metaverso? E por que tem se discutido muito a respeito deste futuro baseado em outras realidades?

A definição mais simples de Metaverso atualmente tem sua referência em um ambiente on-line sendo compartilhado por diferentes pessoas ao redor do globo, onde várias tecnologias são utilizadas, a partir da realidade virtual que permite uma imersão do usuário através de um avatar digital. Será possível fazer qualquer atividade neste mundo virtual, desde trabalhar, jogar, fazer compras, estudar, viajar e se divertir. Considerado o próximo “capítulo” da Internet, o Metaverso já está sendo sondado por empresas tais como Microsoft, Roblox e Facebook, que recentemente mudou o nome para Meta. Investimentos pesados já estão inclusive sendo realizados por estas empresas e muitas outras que sinalizaram apreço pela nova perspectiva de uma plataforma de interação mais realista e conectada.

No futuro das redes sociais, ou Metaverso, nós seres humanos poderemos reproduzir muitos aspectos de nossas vidas. Indo além de conteúdos, pois uma das premissas deste universo virtual é a possibilidade de ter uma interação muito mais densa e real com eventos, marcas, indivíduos, influencers, amigos e família. Como exemplo, imagine que você tenha um avatar no Metaverso e queira assistir a uma peça de teatro. O ingresso da peça é pago com criptomoeda. Você fará todo o procedimento on-line a partir do avatar, sem precisar desconectar em nenhum momento. A velocidade como tudo isso acontecerá, será sem dúvida um dos pontos positivos, pois que hoje a maioria das pessoas já não tem mais paciência de aguardar em filas, não querem ou não gostam de se deslocar até o local do evento e também a preocupação com relação a segurança. Depois da Pandemia, as pessoas mudaram e muito seus hábitos e passaram a ficar mais tempo dentro de suas residências. Por um lado, o Metaverso surge como uma solução para que as pessoas possam ter mais comodidade, mas por um outro lado, todas elas perderão de pouco em pouco o fator humano nas relações sociais, que é de estar presencialmente, interagindo com outros seres humanos, de maneira natural, juntamente com o meio ambiente e a natureza.

No meu ponto de vista, o Metaverso pode ser entendido como um sistema inteligente e artificial que manipula a mente das pessoas e cria a ilusão de um mundo real, ou basicamente um conceito semelhante ao de Matrix. No filme de ficção científica muito aclamado pela crítica e lançado em 1999, o personagem principal (Neo) interpretado por Keanu Reeves é um jovem programador atormentado por estranhos pesadelos nos quais está conectado por cabos a uma imensa inteligência artificial controlada por máquinas em um futuro pós-apocalíptico. À medida que os sonhos e pesadelos se repetem, Neo começa a questionar a sua realidade, suas relações pessoais e o seu trabalho. Quando finalmente encontra os misteriosos Morpheus e Trinity, ele descobre que é vítima da Matrix, um sistema altamente sofisticado e robótico desenvolvido para escravizar a raça humana, criando a ilusão de um mundo real enquanto usa os cérebros e corpos dos indivíduos para produzir energia.

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing –  Oliveiras Consultoria & Marketing)

GERENCIAMENTO DO TEMPO: ORGANIZANDO AS SUAS TAREFAS DE MANEIRA EFICAZ E BENÉFICA

Se você não consegue gerenciar o seu tempo, você não consegue gerenciar a sua vida. E o que é a sua vida? É literalmente o seu tempo! Todos nós nascemos com direitos iguais. Todos nós temos 24 horas por dia. Se dividirmos esse total de horas em três, teremos oito horas para dormir, oito horas para trabalhar e oito horas de lazer. Sei que é muito difícil para a grande maioria das pessoas conseguir dividir corretamente estas 24 horas em três, pois algumas pessoas dormem menos, outras trabalham mais, e algumas outras nem possuem horas para o lazer. Mas o que você faz com estas 24 horas faz toda a diferença na sua vida, pode acreditar. É preciso saber gerenciar todo este tempo que você tem em suas mãos, dividindo as tarefas de uma forma eficaz, positiva e benéfica.

Nos dias atuais, é visível enxergar a correria frenética e tecnológica em que vive a nossa sociedade. Já estamos acostumados a resolver tudo de imediato. Parece que ninguém tem mais paciência de esperar. Hoje é possível realizar praticamente tudo através de aplicativos para smartphone, seja pedir um táxi, fazer reserva em hotéis, solicitar uma refeição ou fazer pagamentos bancários. Com tantas demandas diárias, as pessoas acabam se esquecendo ou deixando para depois o gerenciamento de seu tempo e a organização de suas tarefas de maneira correta. Desenvolver esta habilidade de gestão do tempo é de suma importância para que nós, como indivíduos de uma sociedade complexa e moderna, possamos evoluir, tanto o lado profissional como o lado pessoal.

A primeira etapa é aprender a dar prioridade as coisas mais importantes no seu dia, e não as coisas mais urgentes. Infelizmente, as pessoas estão acostumadas a resolver tudo o que é urgente primeiro. Inclusive, existem sujeitos que só fazem alguma coisa na hora da crise, quando o “fogo” já se alastrou. Não é bem por aí. É preciso sim, ter coisas urgentes e importantes para fazer, mas é preciso separá-las de maneira que você faça as tarefas urgentes, mas também não deixe de lado as tarefas importantes. Tem que existir um equilíbrio e também um planejamento. Lembre-se que se você falha em planejar, você está planejando em falhar. Você acha que o astronauta que foi ao espaço, chegou lá por acaso? Não! Ele planejou anos e anos. Ele e sua equipe colocaram uma energia enorme em cima deste grande desafio que foi a conquista do espaço. Cada etapa foi estudada, desenhada e estruturada minuciosamente, até o dia que ele chegou lá.

O planejamento é a primeira etapa para a realização de um gerenciamento de tempo bem sucedido. Sabendo fazer isso, você será capaz de mudar a sua vida para melhor. E sabendo aplicar em seu ambiente de trabalho, ocorrerá uma transformação em toda a sua rotina. Isso também está ligado a sua auto realização, pois enquanto você está contribuindo e melhorando a sua gestão do tempo, a sociedade em um todo também usufruirá disso. Pois não é uma condição que só você ganha, mas todos em seu convívio social devem ganhar também. Se você tem filhos, sabe da importância de se dedicar à eles, separando algumas horas do seu dia para estar com eles em suas atividades. Se você gosta de se exercitar, também sabe como é importante ter esse momento de cuidado consigo mesmo. Enfim, criar uma agenda e/ou roteiro com suas principais atividades semanais, fará com que você não perca tempo a toa, pois conseguirá enxergar e entender que em 24 horas é possível realizar todas as suas tarefas, sem comprometer a sua saúde física e mental.

Para concluir, deixo aqui uma citação muito bonita de San Liscofré: “Fazer bom uso do tempo é a melhor maneira de agradecer pela vida”.

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing – Oliveiras Consultoria & Marketing)

A Importância da Segmentação de Mercado como estratégia de diferenciação da marca

Você já ouviu falar no termo Segmentação de mercado? Esta técnica é considerada uma ferramenta indispensável para as estratégias de marketing e comunicação das empresas. Por definição, segmentar significa cortar, dividir em segmentos. A segmentação de mercado consiste em exatamente isso: identificar em um mercado de alta complexidade e heterogêneo, um determinado grupo de indivíduos, com respostas e preferências semelhantes de produtos, dividindo-o de outros grupos de interesses. Isto deve ser observado como um poderoso recurso que ajuda as marcas a criar vantagens competitivas, ao passo que reduz o investimento, os esforços e os desafios em atrair e reter clientes para o negócio. A segmentação de mercado, entretanto, deve ser encarada como um exercício de constância, onde o departamento de marketing gera estratégias eficazes, a fim de atacar cada tipo de público alvo para determinado tipo de produto ou serviço.

Para ficar mais claro, separei aqui alguns exemplos de segmentos de mercado: Moda e vestuário, saúde e beleza, eletrônicos, games, cama, mesa e banho, artigos esportivos, equipamentos industriais, materiais de construção, etc. São necessidades bastante específicas, certo? Vamos supor que você tenha uma barbearia. Seu segmento de mercado é o público masculino, em vista que este será o público alvo do seu negócio. A partir daí, você passa a concentrar seus esforços em elaborar estratégias de marketing e vendas para os homens, propondo cortes, tratamentos, produtos especiais, ofertas e promoções exclusivas para eles. Um dos maiores benefícios gerados através deste modelo de estratégia é se diferenciar no mercado, identificando da melhor maneira os clientes ideais que estarão em contato com a sua marca.

Você deve estar se perguntando como fazer para encontrar o seu segmento ideal de mercado. Ora, como não existe uma fórmula exclusiva de segmentação, será preciso decidir qual o caminho a sua empresa vai trilhar. Atualmente, a segmentação de mercado é dividida em duas frentes diferentes: Segmentação por região e segmentação por personalidade. Enquanto a segmentação por região está relacionada aos costumes, valores e necessidades das pessoas naquele local; a segmentação por personalidade está relacionada ao estilo de vida, comportamentos e hábitos dos consumidores.

Se você identificar que o seu público alvo é fiel à sua marca, mas somente consome em momentos específicos, devemos levar em consideração a questão sazonal, pois que você poderá explorar melhor este grupo de interesse com novas ofertas, em momentos mais favoráveis, como é o caso da Black Friday. Muitas pessoas aguardam ansiosas o último fim de semana do mês de novembro para efetuarem suas compras com ofertas e descontos atrativos.

De qualquer forma, é sugerido sempre que você conheça de verdade o seu cliente. Hoje em dia existem diferentes técnicas para identificar o tipo de cliente ideal para o seu negócio e como estabelecer um relacionamento duradouro com o mesmo, fazendo com que ele ou ela seja fiel à marca e não recorra as marcas concorrentes. Sempre existirá novas e melhores formas de aumentar a sua relação com os seus consumidores.

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing – Oliveiras Consultoria & Marketing)

A PROTEÇÃO E A PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE COMO FORMAS DE CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DAS EMPRESAS

           

Muito se tem discutido a respeito da proteção e da preservação do meio ambiente ultimamente. Grandes empresas, nacionais e internacionais, que em um passado recente não estavam se importando muito com este assunto, passaram a colocar em prática ações sustentáveis na busca da diminuição do impacto ambiental que estas mesmas causam em nosso planeta. Podemos citar por exemplo a Natura, uma empresa brasileira do segmento de cosméticos e beleza pessoal, que vem realizando ações de recursos naturais da Amazônia para o uso sustentável de seus produtos com 80% dos mesmos sendo de origem vegetal. As Lojas Renner também inovaram nas práticas de ações sustentáveis com uma gestão inteligente do consumo de água. Foram instaladas cisternas para fazer a captação da água da chuva, ajudando a reduzir o consumo de água, em aproximadamente 55%. Das quase 600 lojas espalhadas pelo Brasil, pouco mais de 100, já funcionam com esta gestão. A Cervejaria Ambev também é um outro case que podemos ressaltar aqui. Sendo uma das principais companhias do ramo de bebidas do país, a Ambev certificou que até o ano de 2023, cerca de 1/3 de sua frota de caminhões que fazem a distribuição de seus produtos será composta de veículos elétricos. Essa mudança será muito significativa em vista que tendo boa parte de sua frota de caminhões elétricos, não estarão utilizando mais o combustível, no caso, o diesel, eliminando em 100% as partículas de poluentes e gases de efeito estufa que vão para a atmosfera, ajudando e muito na proteção e preservação do meio ambiente.

Pode ter certeza que ser uma empresa sustentável hoje, é o melhor caminho para o crescimento e o desenvolvimento do negócio. Além de todo o respeito e cuidado com o nosso meio ambiente, a fauna e a flora, as empresas sustentáveis são muito mais valorizadas aos olhos dos consumidores, pois podem aumentar a produtividade de maneira inteligente, com a consciência da equipe em suas atividades diárias, na redução de custos de operação, na utilização de métodos inovadores de processos, em suas obrigações legais e econômicas e tudo o que diz respeito ao compromisso com a Responsabilidade socioambiental.

Para que as empresas se tornem sustentáveis, é de suma importância, a elaboração de um plano estratégico voltado para a ação. Infelizmente muitas organizações possuem um discurso muito bonito sobre as suas responsabilidades com o meio ambiente, mas na prática não fazem nada para mudar os seus processos. As empresas precisam ir além dos discursos vazios. É preciso fazer negócios com parceiros e fornecedores que também estejam preocupados com a sustentabilidade. Incentivar políticas de reciclagem, diminuir a utilização de produtos descartáveis, investir em energia limpa e renovável também são importantes ações que qualquer companhia pode realizar. Valorizar o nosso meio ambiente e tudo o que usufruímos dele de maneira consciente é o que irá garantir o futuro das próximas gerações e a sobrevivência de todos os seres vivos.

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing –  Oliveiras Consultoria & Marketing)

ENFRENTANDO OS DESAFIOS COMO OPORTUNIDADES DE CRESCIMENTO E AMADURECIMENTO

Não se pode negar que o nosso país a cada dia que passa se afunda mais e mais em uma crise econômica, social e política nunca antes vista. Tivemos sim, no passado períodos bastante conturbados com vários escândalos que abalaram a imagem do país, mas a crise gerada pela pandemia é de longe a pior de todas. É só acessar os sites de notícia ou ligar a TV para se deparar com reportagens nada animadoras. Por mais que a maioria dos brasileiros se esforcem todos os dias, levantem cedo, trabalhem duro, engulam muito sapo, voltem para as suas casas e no outro dia repitam a mesma rotina, tudo parece não fazer sentido. Desafios que todos nós enfrentamos diariamente e que estão longe de um final feliz. Será que devemos encarar dessa maneira? Eu acredito que não!

Talvez você nunca tenha parado para pensar sobre isso, mas são estes mesmos desafios que nos trazem inúmeras oportunidades todos os dias. São eles que nos impulsionam para cima, nos fazem crescer e amadurecer. Os desafios devem ser encarados como os nossos melhores amigos. Se não houvesse desafios em nossa vida, tudo pareceria um marasmo sem fim. Já imaginou? Até mesmo na época dos primeiros seres humanos habitantes da Terra. Buscar comida para alimentar as suas famílias era um baita de um desafio. Todos os dias eles passavam por isso. Enquanto a vontade de viver era maior que a vontade de morrer, eles eram bem sucedidos em suas caçadas. Logicamente, muitos perderam a vida, mas deram o sangue a fim de enfrentarem as situações e a realidade que estavam vivenciando. Em muita das vezes tendo que aturar temperaturas baixíssimas ou até mesmo altíssimas. Com pouca proteção e quase nada de segurança. Voltando para a nossa realidade, eu vejo que nós também temos essa mentalidade. Ninguém quer morrer de fome, não é verdade? Eu vejo pais e mães fazerem de tudo (e mais um pouco) para levarem o alimento para suas casas, para seus filhos e seus familiares. As pessoas mais pobres que batalham no dia a dia em busca de uma melhor situação financeira e até mesmo alcançarem uma posição social financeiramente mais confortável e segura, são elas que merecem todo o nosso respeito. Temos vários exemplos de artistas, músicos, celebridades, etc, que nasceram na pobreza, e com muita fé, trabalho, crescimento profissional, pessoal, foco e pensamento positivo, conseguiram dar a volta por cima, saindo da vida de miséria e tornando-se pessoas milionárias, prósperas e altruístas.

Elas entenderam que era preciso transformar os desafios em oportunidades e fazer o possível e o impossível para sair daquela realidade, sair da “zona de conforto”, a qual muitas pessoas estão vivendo. A medida que o nosso planeta se torna cada vez mais complexo, com problemas ambientais críticos, super população, destruição da fauna e da flora, crises hídricas e de energia, escassez dos recursos naturais que nos mantém vivos, todos nós seremos cobrados por tudo isso. E essa cobrança se apresentará como um tremendo desafio. Pode apostar. Por isso ressalto que se tivermos o otimismo como ponto positivo de nossa personalidade, qualquer que seja o desafio, vamos enfrentar e vamos vencer. Uma frase do Dr. Fábio Augusto resume tudo isso: “O mundo nos obriga a vencer desafios diariamente”.

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing – Oliveiras Consultoria & Marketing)

GESTÃO COM LIDERANÇA: POTENCIALIZANDO OS SEUS NEGÓCIOS COM MARKETING E VENDAS

A pandemia trouxe uma lição árdua para a grande parte dos empresários e empreendedores de nosso país – Se a gestão vai mal, o negócio vai mal. E não estou falando apenas da Gestão Financeira. Ela sim, é realmente muito importante para manter o negócio na ativa, mas vai muito além disso. Nos dias de hoje, muito mais que antigamente, é preciso investir pesado na Gestão com Liderança. E o que seria isso? Vou abordar melhor este conceito aqui no artigo.

A Gestão com Liderança parte de um modelo de negócio inovador que tem como principal foco, a excelência e a autoridade gerada pelas ações positivas dentro e fora da empresa. Seja em qualquer segmento de mercado, atualmente temos centenas de empresas que se destacam muito mais do que as outras. Por exemplo: O Magazine Luiza possui uma enorme rede de distribuição para atender todas as suas demandas. Em âmbito nacional. De ponta a ponta. É uma das empresas líderes de mercado e que a cada dia vem crescendo exponencialmente e tendo como principal foco, a liderança no segmento de compras on-line com entregas rápidas. Para isso, o Magazine Luiza precisa atrelar não só a Gestão bem executada de todos os processos internos, mas também o Marketing e as vendas como pilares na implantação de sua cultura, e a criação de um relacionamento duradouro com os seus clientes e público-alvo. Todos os domingos a propaganda do Magalu está lá, em um dos programas de TV com maior audiência do horário nobre. É ou não é verdade? Ora, se o Magazine Luiza é “fera” em todos os processos, mas como fica então a Gestão Financeira da empresa? Essa parte é feita também com excelência, mas provavelmente não seja conduzida por equipes internas e sim, por empresas terceirizadas ou até mesmo stakeholders com alto grau de responsabilidade e compromisso para com os lucros e prejuízos da organização. Imagine só a complexidade que deva ser? A parte financeira é sim, como disse anteriormente, uma das mais importantes de todo o negócio, mas dependendo da empresa, do tamanho dela, do empresário ou empreendedor, é melhor deixar essa parte da administração com profissionais melhores e mais capacitados. Quando você gasta menos energia com números e estatísticas, sobra tempo para pensar em Liderança, Marketing e Vendas.

Sabemos que a grande maioria dos donos de negócios acabam misturando de maneira errônea as suas finanças pessoais com as finanças da empresa. Isso é um dos fatores cruciais que levam muitas empresas a falirem, pois que todo o fluxo de caixa e faturamento do negócio sofre um impacto considerável quando a gestão não é feita de maneira correta, separando e organizando os ativos e passivos. Ainda mais quando possuem estoques e também têm dificuldades em gerenciá-los. Aliás, as empresas bem sucedidas atualmente são aquelas que não possuem estoque parado. A premissa da Gestão com Liderança vem com essa visão estratégica de que o negócio precisa gerar lucratividade e não somente se manter na ativa, mas rapidamente ganhar a liderança em seu segmento de atuação. A liderança vai gerar uma maior confiança não só nas equipes internas e também aos olhos do público, que vai ter uma maior preferência em consumir o produto ou adquirir os serviços da empresa. Se você está com dificuldades de promover mudanças em seu modelo de negócio, busque ajuda de profissionais competentes. Delegue tudo aquilo que toma o seu precioso tempo. E não deixe de aplicar os conceitos de Gestão com Liderança e o Planejamento de Estratégias focadas em Marketing e Vendas. Fará uma baita diferença. Pode apostar!

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing – Oliveiras Consultoria & Marketing)

O PODER DO REMARKETING PARA AS EMPRESAS NAS PROPAGANDAS VIA INTERNET

Todo o usuário, independente de gênero, raça e idade, que está navegando na Internet, seja conectado por computador, smartphone ou qualquer outro dispositivo, sabe que não está a salvo das propagandas. A Publicidade na Web vem crescendo a cada dia e muitas empresas estão tirando proveito de novas técnicas e novas estratégias para poder mostrar os seus anúncios on-line. Uma das técnicas mais utilizadas atualmente é a de Remarketing que visa mostrar somente propagandas que realmente fazem sentido para aquele usuário em especial. Exemplo: um blazer para quem procurou por roupas sociais ou passagens aéreas para quem está interessado em viajar. Mas essa estratégia, em alguns casos, pode causar uma percepção negativa na mente do usuário. Uma percepção de que ele ou ela, está sendo perseguido(a) na Internet.

A técnica de Remarketing promete entregar um anúncio personalizado para o usuário, que em um determinado momento acessou e efetuou pesquisa em uma loja de comércio on-line, mas não realizou nenhuma compra. Esses anúncios personalizados geralmente estão em espaços de publicidade de sites variados na Internet e que são acessados por este usuário. Funcionam como uma maneira de se aproximar do público interessado, criando simpatia com a marca e familiarização. Se a ferramenta de Remarketing identifica que a compra foi feita, em tese, o anúncio vai parar de aparecer em outros endereços da Web. As empresas que utilizam as técnicas e estratégias de Remarketing apostam na mesma, com a esperança de que aquele potencial cliente (lead) não se esqueça de sua marca e de que adquira o produto ou serviço em um curto espaço de tempo. Alguns dados de interesse do usuário são feitos através da utilização de Cookies. Se trata de arquivos no formato de texto e que indica que aquele usuário já fez o acesso na página anteriormente. Os Cookies nada mais são que dados utilizados para melhorar a experiência on-line. Além de ajudar na segurança, eles detectam logins indevidos e atividade suspeita. São úteis para o Marketing e a Comunicação, pois são dados que revelam o perfil do usuário e podem ser utilizados para testar a eficácia das estratégias e ações publicitárias.

A verdade é que muitos usuários se sentem desconfortáveis com o grande volume de propagandas na Internet nos dias de hoje. Seja em sites específicos e até mesmo nas redes sociais, as grandes empresas investem pesado para manter a visibilidade de seus produtos ou serviços, junto a influência que exercem no público. Existem maneiras de minimizar a quantidade de propagandas e os usuários podem controlar isso através das configurações de seus dispositivos. No caso das empresas, eu acredito que utilizar o Remarketing é um ponto positivo pois visa não perder aquela venda em potencial, que em um primeiro momento ficou morna, esfriou, mas que em um segundo momento pode ser concretizada pelo usuário. Tudo se trata de criatividade na hora de convencer e trazer o contexto da venda no campo de atuação da empresa. Na minha visão, trabalhar o Remarketing com outras técnicas de Inbound Marketing, que se baseiam em ganhar interesse das pessoas em vez de empurrar e forçar uma venda, é a melhor saída para as empresas contornarem a crise e obterem melhores resultados.

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing – Oliveiras Consultoria & Marketing)

BENCHMARKING E A IMPORTÂNCIA DAS EMPRESAS TEREM SEMPRE UM “PONTO DE REFERÊNCIA”

Você já ouviu falar em Benchmarking? Segundo o Wikipedia, esse termo pode ser entendido como uma busca das melhores práticas de gestão, seja de uma organização, entidade ou empresa, e que conduzem estrategicamente a uma performance superior. É um processo de avaliação da empresa em relação à concorrência, incorporando os melhores desempenhos de outras firmas e/ou aperfeiçoando os seus próprios métodos. Investir em Benchmarking é colocar em prática um conjunto de técnicas inteligentes afim de entender as empresas concorrentes, fazer uma comparação com os resultados alcançados e promover melhorias em todos os departamentos. Pode ser um tanto complexo iniciar esse método em sua empresa, mas calma, estarei exemplificando melhor neste artigo.

Vamos imaginar por um instante que você seja dono(a) de um restaurante de comida japonesa delivery em sua cidade. Ultimamente, você só está levando prejuízo, com reclamações de clientes, poucos pedidos por noite e uma margem de lucro baixíssima em seu negócio. Em uma noite de pouco movimento, você começa a pesquisar os seus concorrentes na Internet. Acessa as redes sociais e os aplicativos de entrega de comida para ver o que o público está dizendo. Para a sua surpresa, a maioria deles tem boa reputação, possuem uma comunicação profissional e investem em Marketing para manterem a visibilidade e o status de restaurantes confiáveis deste segmento específico. Além de suas classificações serem as melhores nos sites de busca. Somente pelo simples fato de você ter pesquisado pelos seus concorrentes (de uma maneira bastante superficial, como essa), inconscientemente você já está praticando as técnicas de Benchmarking.

Querer melhorar a sua apresentação, o seu atendimento, o seu produto e/ou serviço, para que a sua marca possa bater de frente com a concorrência é a melhor saída para aumentar os resultados do seu negócio. Qualidade nos dias atuais é o mínimo que uma empresa necessita para se manter respirando, ainda mais em tempos de pandemia. Ao entender o que os seus concorrentes entregam você precisa se dispor a fazer melhor do que eles já estão fazendo. Essa literalmente é a chave do sucesso de um Benchmarking bem feito. Mas tem um detalhe em tudo isso. Não é porque a empresa ‘X’ vende a comida japonesa pela metade do preço e a empresa ‘Y’ distribui vouchers com 50% de desconto, que você tem que partir para estas mesmas estratégias. O tiro pode sair pela culatra em alguns casos.

É sempre importante avaliar e mensurar os prós e os contras. Quem vai valorizar o seu produto é o cliente e não o concorrente. Por isso saiba que ter uma estratégia de crescimento com um olhar de fora para dentro do seu negócio pode ser a melhor solução em tempos de crise e pouco faturamento. O Benchmarking deve ser utilizado diariamente como um filtro de informações benéficas para o negócio e que vai servir de auxílio para a tomada de decisões em prol do bem estar da empresa. Existem vários métodos a serem utilizados e você também tem a possibilidade de criar seus próprios métodos personalizados de Benchmarking. Busque informações, converse com seus clientes e ouse. A ousadia aliada a coragem de querer vencer a concorrência fazem uma baita diferença. Como disse o grande professor, economista e pensador Philip Kotler: “As empresas ruins ignoram seus concorrentes, as medianas copiam e as vencedoras os lideram.”

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing – Oliveiras Consultoria & Marketing)