A ASCENSÃO DO INSTAGRAM: POR QUE TODOS ESTÃO VOLTANDO SUAS ATENÇÕES PARA ESTA REDE SOCIAL?

Lançado em 2010, o aplicativo Instagram de compartilhamento de fotos e vídeos chegou com uma proposta diferente justamente por permitir que os conteúdos fossem enquadrados em uma proporção quadrada (1:1) para corresponder à largura da tela do iPhone na época. Fundado por Kevin Systrom e Mike Krieger, o Instagram foi adquirido posteriormente pelo Facebook Inc. um ano e meio depois de seu lançamento por US$ 300 milhões em dinheiro e US$ 23 milhões em ações.

Após mais de 10 anos a plataforma vem se consolidando a cada dia como a rede social “queridinha” dos brasileiros. É considerada hoje a segunda maior rede social do mundo, superando o Twitter, fundado em 2006. O aplicativo passou por transformações significativas em 2021 e neste ano deve seguir o mesmo ritmo, com foco também em mensagens e interações mais aprimoradas. O Instagram foi originalmente desenvolvido como uma rede social de visual minimalista, experiência simples e intuitiva, focado no compartilhamento de fotos e vídeos. Novos recursos visuais inéditos (IGTV), caixa de mensagens (direct), filtros, efeitos, a capacidade de incluir várias imagens ou vídeos em uma única postagem e um recurso de Histórias (Stories) – semelhante ao concorrente Snapchat – que permite aos usuários postar seu conteúdo em um feed sequencial, com duração de até 24 horas, fizeram com que muitos usuários voltassem suas atenções para esta rede social em específico, deixando um pouco de lado as outras redes sociais tais como o Facebook, o Twitter e o próprio Snapchat.

Em 2020, o Instagram lançou um novo recurso chamado “Co-Watching”. Este recurso permitia que os usuários compartilhassem postagens entre si por meio de videochamadas. A tentativa feita pela equipe de desenvolvimento do aplicativo de promover o lançamento do Co-Watching foi feita para atender à demanda de conexão virtual com amigos e familiares devido ao momento crítico da pandemia do COVID-19. No mesmo ano, o Instagram lançou um novo recurso chamado “Reels”, muito semelhante ao seu concorrente TikTok. Este recurso já virou um enorme sucesso entre os usuários, principalmente os brasileiros. Neste ano de 2022, Zuckenberg confirmou a inclusão de Tokens não fungíveis (NFTs) na plataforma. O recurso ainda em período de testes permitiria de maneira gratuita, que os usuários mostrassem suas artes criptográficas conectando-as em suas carteiras virtuais de block-chains via Instagram. Será que um dia o Instagram irá superar o Facebook? Ainda é cedo para termos esta certeza, mas a verdade é que a rede social tem um grande potencial e conquistou o seu merecido espaço.

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing – Oliveiras Consultoria & Marketing)

Publicidade