POR QUE A COMPRA DO TWITTER POR ELON MUSK PODE SER CATASTRÓFICA PARA A COMUNICAÇÃO GLOBAL?

Com certeza um dos assuntos mais comentados neste momento é a notícia sobre a aquisição da rede social Twitter pelo bilionário Elon Musk. Conhecido por ser o homem mais rico do mundo, Musk é CEO da norte americana Tesla, uma das maiores empresas automotivas de armazenamento de energia da atualidade e líder de centenas de outras empresas. Comprou a rede social Twitter por US$ 44 bilhões, cerca de R$ 216 bilhões e poderia eliminar a fome do mundo com todo este dinheiro, não apenas uma, mais seis vezes.

O Twitter é uma rede social e um serviço de microblog integrado, que permite aos usuários enviar e receber atualizações pessoais. Fundado em 2006 por Jack Dorsey, Evan Williams e Biz Stone, a plataforma americana se popularizou em 2007 por justamente oferecer um espaço para debate e compartilhamento de conteúdos dos mais variados assuntos. Uma das principais ferramentas do Twitter, o Trending Topics, ganhou destaque no mundo todo pois disponibiliza aos usuários os assuntos mais comentados do momento.

Atualmente, o Twitter conta com mais de 316 milhões de usuários ativos. O serviço poder ser acessado pelo site oficial da empresa ou através de aplicativo. Em nosso país a plataforma ganhou destaque em 2012 quando a empresa inaugurou seu primeiro escritório em São Paulo. De lá pra cá, o Twitter sofreu diversas mudanças, sendo impostas algumas condições e regras. Um dos casos que mais repercutiram na mídia foi a expulsão do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump da rede social após o mesmo incitar uma multidão de seguidores a invadir o Congresso dos EUA. Mesmo com a aquisição da plataforma por Elon Musk, Trump descartou seu retorno alegando que ficará em sua própria plataforma “Truth Social”.

Mas o que será que Musk fará com o Twitter daqui para frente? Segundo o bilionário através de uma declaração em meados de abril durante uma conferência alegou que sua decisão de comprar a empresa não tem motivações econômicas. “Não é uma forma de ganhar dinheiro”, defendeu o CEO da Tesla. “Tenho simplesmente uma forte intuição de que ter uma plataforma pública e aberta à maior quantidade de pessoas é extremamente importante para o futuro de nossa civilização”, garantiu. Musk não detalhou como vai gerar receita para o Twitter, ainda que tenha um desejo de reduzir o número de funcionários da empresa.

Muitos grupos de direitos humanos estão extremamente preocupados com a venda do Twitter. Com ênfase a respeito da liberdade, Elon Musk pode fazer com que a circulação de discurso de ódio cresça na plataforma. Mudanças em suas regras, termos e condições, além de novos recursos e algoritmos, podem ter efeitos catastróficos, ou até mesmo devastadores para o mundo inteiro, incluindo aumento da violência dentro e fora da rede social. Todos temos que concordar que é muito poder nas mãos de um único indivíduo. 

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing –  Oliveiras Consultoria & Marketing)