Novo Normal ou Novo Convencional?

Oito meses se passaram desde o início da pandemia do novo Coronavírus. Muitas empresas sofrendo com a crise. Os números de infectados ainda estão longe de diminuir e as pessoas continuam sendo obrigadas a manter o distanciamento social. Também são obrigadas a utilizarem máscaras em público e evitar aglomerações. Realmente não está fácil. Um pouco antes de toda a situação se agravar a ponto deste termo esquisito e incomum “Novo Normal” ficar popularmente conhecido, eu tinha uma ideia diferente do que viria a ser este novo comportamento humano para os próximos anos. E essa ideia estava bastante calcada no termo: Convencionalismo.

O convencionalismo, segundo o Wikipedia, é a atitude filosófica de que princípios fundamentais de um certo tipo se baseiam em acordos na sociedade, e não na realidade externa. O comportamento convencional é aquele que obedece a padrões ou regras já estabelecidas. Podemos entender como indivíduos que se comportam segundo regras sociais. Tendo isso como base, é certo afirmar que atualmente não vivemos um “Novo Normal” e sim um “Novo Convencional”.

É notável entender que ao sairmos de nossas casas, seja para trabalhar, para passear, estudar ou fazer compras, um sentimento coletivo de preocupação já se encontra instaurado na mente da grande maioria. O medo, a preocupação e a ansiedade que a pandemia gerou é real e aumenta a cada dia. À medida que os casos ainda estão freqüentes e não existe ainda uma vacina capaz de extinguir este vírus, entendemos que as pessoas, em sua grande maioria já estão se acostumando com estas normas exigidas pelas autoridades. Algumas nem se importam mais em ter que utilizar máscaras e manter a distância das outras pessoas quando saem de suas casas. Já virou um habito. É ou não é verdade? Mas será que tudo isso será realmente benéfico para nós no longo prazo?

No meu ponto de vista o ser humano está perdendo a sua essência. A sua verdadeira identidade. Pensar que é uma situação passageira é errado. Mesmo com a produção em massa de vacinas, dificilmente ficaremos livres de todo o mal que a crise do novo Coronavírus está causando. O prejuízo é incalculável. Acredito que não podemos aceitar padrões impostos por questões políticas e achar que é “normal”, que é correto. O normal na verdade nunca foi normal. Era uma realidade diferente, porém, sem todo este medo e preocupação instaurada na mente das pessoas de que o nosso mundo está doente. Sabíamos sim que algumas coisas não estavam certas, mas seguíamos com nossas vidas, de maneira convicta, sempre pensando em um futuro melhor. Desde os primórdios nossos ancestrais convivem com doenças, infecções, pragas, pestes, etc. E ao longo da história, a superação venceu. A superação juntamente com a mente preparada e o modo de vida benéfico para todos. Mas infelizmente, na realidade que estamos, com todas estas restrições e obrigações impostas, tudo o que vira hábito, vira costume, fica enraizado nas crenças pessoais de que é o certo e que não há nada que possa mudar. Tudo isso terá um impacto enorme em todos nós, inclusive nas novas gerações, ou melhor, dizendo, já está tendo. Estamos sendo condicionados. Esse é o ‘Novo Convencional’. O que nos resta é mantermos a convicção de que somos nós que precisamos romper regras, leis e padrões. Não cair no Convencionalismo. Respeitar este convencionalismo sim, mas mantendo uma opinião, mantendo uma postura firme, um pensamento voltado para o bem comum e para o bem do nosso planeta. A união e a superação sempre serão vitoriosas.

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing – Oliveiras Consultoria & Marketing)