A importância da Educação Virtual em Tempos de Pandemia

imagem-educação

Com a decisão do Governo do Estado de São Paulo em prorrogar a volta às aulas para outubro, muitos pais e alunos vivem um drama, dia após dia, sem esperanças de que esse ano de 2020 ainda possa trazer resultados expressivos nos processos educacionais. Infelizmente é grande o prejuízo causado pela pandemia no âmbito escolar, com milhares de crianças em suas casas, sendo forçadas a estudarem de forma on-line, sem terem aquela ‘atmosfera’ escolar que só o modelo presencial trás. De fato, uma minoria está conseguindo realizar as atividades, com compromisso e responsabilidade. Mas isso não é mérito da criança ou adolescente em si, e sim dos pais, tutores e/ou responsáveis pela mesma. Por que algumas se sobressaem com o ensino em casa e outras não?

Todos sabemos que o processo de aprendizagem em nosso país é feito por etapas. Na escola tradicional, o modelo dividido em séries (1ª, 2ª, 3ª, 4ª e por aí em diante) sempre foi amplamente utilizado. Consiste em aprender as matérias principais (Português, Matemática, Ciências, etc) com todo aquele conjunto de cenário e pano de fundo: A lousa, a mesa do professor, as carteiras enfileiradas, os cadernos, livros, os números e alfabeto na parede, o giz, a régua, o lápis e a caneta. A criança veste o uniforme, coloca a mochila nas costas e vai. Todo esse conjunto passa a ser primordial para nós, como estudantes, a partir do primeiro dia de aula. E eu me lembro muito bem do meu primeiro dia na escola. Reconheço que não foi fácil encarar tudo aquilo com apenas seis anos de idade. Mas foi a melhor condição disponível para mim naquele momento. E agradeço muito até hoje pela condição e padrão de vida que tinha naquela época, que me proporcionou avançar na vida. Naquele contexto não existia Internet, não tinha celular e nem plataforma on-line de estudos. Era caderno, suor e lágrimas.

Hoje, a história muda de figura. A Educação Virtual já é uma realidade e tem conquistado o seu merecido espaço, logicamente sendo muito criticada e menosprezada por pais e até mesmo alunos, que ainda sentem falta do modelo tradicional, com cenário e padrão de ensino presencial. Mas com toda a situação que estamos enfrentando, as crianças não terão mais que se sujeitar a isso. Não serão mais obrigadas. Convenhamos que nenhum pai ou mãe em sã consciência quer colocar o seu filho ou filha em risco. A crise do Coronavírus ainda vai longe. Enquanto não existir uma vacina realmente eficaz para combater esse vírus, as aulas presenciais não vão retornar com segurança. É difícil imaginar uma realidade como era antes da pandemia. Ninguém sabe o que pode acontecer. Por isso é preciso investir mais e mais na Educação Virtual. Até aqui é o melhor caminho a ser seguido. Investir em professores qualificados e inteirados na tecnologia para levar para seus filhos o melhor ensino a distância seja Português, Matemática, Ciências, Música, Artes, Educação Física, etc. A Educação Virtual é a chave para que a nova geração possa evoluir e inclusive, mudar esse paradigma desgastado do modelo de ensino tradicional da rede básica de ensino, onde faz a criança sentar na carteira esquecer o seu lado direito (abstrato) e focar apenas em seu lado esquerdo (analítico). Ela deixa de desenvolver uma série de outras habilidades, tais como criatividade, intuição, pensamento abstrato e não linear, seu lado impulsivo, etc.

Tenho convicção que milhares de crianças ao chegarem na fase adulta vivem um conflito de identidade e não tem a mínima ideia do que fazer da vida por causa dessa condição. Digo milhares porque são poucas privilegiadas, com nível ascendente em um país de terceiro mundo. O ser humano se desenvolve por completo quando ele trabalha os dois hemisférios do cérebro, e no Brasil essa não é a realidade. Precisamos colocar a Educação Virtual em evidência e cobrar dos governantes um ensino melhor para nossas crianças. Para encerrar uma frase muito famosa de Rubem Alves: “Educar não é ensinar respostas. Educar é ensinar a pensar”.

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing – Oliveiras Consultoria & Marketing)