Papai Noel: A maior jogada de Marketing do Natal

imagem-bomvelhinho

Se existe um símbolo natalino que resume todo o contexto desta época especial e remete boas lembranças em todos nós, sem duvida nenhuma, este símbolo é o Papai Noel. Esta figura mítica foi inspirada em um bispo chamado Nicolau, que nasceu na Turquia em 280 d.C. O bispo, homem de bom coração, tinha o costume de ajudar os mais pobres, deixando em suas casas pequenos embrulhos com moedas de ouro. Ao longo dos anos a imagem do bom velhinho retratada por Nicolau serviu de inspiração e até o final do século XIX, o Papai Noel era representado com uma roupa de inverno nas cores marrom e verde, e era descrito de várias formas, ora como um elfo, ora como um duende, ora como um santo, e entre outros.

Em 1823, o professor americano Clement Clarke Moore escreveu um poema intitulado: “The Night Before Christmas” (traduzindo em português: “Uma noite antes do Natal”), e solicitou que fosse publicado de forma anônima em um jornal. O poema fez grande sucesso e se tornaria um símbolo do Natal, principalmente na América do Norte. Infelizmente, o mesmo poema teve muitas controvérsias, pois o professor falava sobre um velhinho bochechudo que andava de trenó e entrava nas casas das pessoas pela chaminé para entregar seus presentes. No ano de 1863, Thomas Nast um cartunista americano criou a primeira imagem do Papai Noel, bastante semelhante a que conhecemos nos dias de hoje. Thomas também criou a lenda de que Papai Noel se veste de vermelho e mora no Pólo Norte. O trabalho do cartunista chamou bastante atenção e ilustrou a capa da revista americana Harper’s Weekly.

Somente em 1931 que o Papai Noel realmente ficou conhecido. E a Coca-Cola foi a grande responsável para que sua imagem e fama se espalhassem ao redor do mundo. A empresa de refrigerantes contratou desenhistas para remodelarem o Papai Noel, logicamente se baseando nas cores da marca, visando um maior impacto no público infantil e o aumento das vendas no inverno. Já nas primeiras ilustrações é notável ver o tamanho natural do personagem, o semblante alegre e a roupa vermelha com o cinto preto. Estampou revistas, outdoors, impressos em geral e balcões de lojas, influenciando os americanos a beberem Coca-Cola. Neste ponto podemos notar que a proposta do Papai Noel muda drasticamente e a “Força do Marketing” vem à tona, pois o grande objetivo da empresa, literalmente, era aumentar as vendas do refrigerante no inverno, mas o sucesso da campanha com o Papai Noel foi gigantesco, e fez com que a Coca-Cola passasse a adotar a imagem do Papai Noel como um dos símbolos principais da marca nos próximos anos, e o público-alvo a adotou como símbolo oficial do Natal até hoje. Foi ou não foi uma jogada genial de Marketing para o Natal?

Apesar de muita gente achar que a Coca-Cola foi a grande responsável em criar o personagem Papai Noel, na verdade como podemos entender neste artigo, a marca apenas remodelou sua imagem. Antes de 1931, o bom velhinho era caracterizado totalmente diferente. Após a primeira campanha bem sucedida, a Coca-Cola ficou com o mérito, pois além de criar o padrão universal, a companhia colocou a cereja que faltava no bolo: o gorro vermelho com pompom branco.

Texto escrito por: Felipe Oliveira (Consultor de Comunicação e Marketing – Oliveiras Consultoria & Marketing)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s